O seu problema é retenção de líquidos?

retenção de líquidos

O corpo humano é feito com muita água, cerca de 70%, e em algumas situações o organismo retém água em excesso, resultando em inchaços (edemas) que podem ser muito incomodativos.

A retenção de líquidos no corpo acontece por causa do extravasamento de um líquido bastante pobre em proteínas do sangue. Ele desloca-se dos vasos sanguíneos e vai para o tecido subcutâneo, causando inchaços visíveis, principalmente na zona das pernas e barriga.

Insuficiência vascular, hipertensão arterial, problemas renais, hipotiroidismo, problemas no fígado e até no coração podem provocar a retenção de líquidos. Entretanto, outros factores também podem ser responsáveis pelos inchaços, como por exemplo, a TPM, o uso de anticoncepcionais, questões posturais, clima, entre outros.

Fraca circulação sanguínea nas veias e artérias das pernas é provavelmente a causa mais comum na retenção de líquidos nas pernas e tornozelos, isto ocorre muito frequentemente na gravidez e causa edemas e algumas vezes varizes.

Um bloqueio ou congestionamento do sistema linfático pode também causar um tipo de retenção de líquidos conhecido como linfedema, que é muito comum depois de algum tipo de cirurgia. Pessoas que passam muito tempo imóveis, por exemplo doentes acamados, em cadeiras de rodas, pessoas que passam muito tempo no sofá ou até mesmo em voos de longa duração podem desenvolver problemas de retenção de líquidos se não se movimentarem regularmente, isto porque é difícil para o sistema linfático absorver os líquidos quando está imóvel por longos períodos.

Retenção de líquidos na fase pré-menstrual é também bastante comum, e é causada pela mudança hormonal durante o ciclo menstrual.

Os altos níveis de algumas hormonas podem também ajudar na retenção de líquidos. Estas incluem insulina (necessária para processar o açúcar), cortisol (que é produzida quando está sobre stress), o estrogénio e a progesterona. Alguns medicamentos, como a pílula contraceptiva e outros medicamentos para as dores podem também afectar os níveis de algumas destas hormonas e indirectamente desencadear a retenção de líquidos.

Quais alimentos provocam retenção ou perda de líquidos corporais?

O sódio é o principal causador da retenção de líquidos corporais (ou edema) em mulheres e homens, embora se trate de um problema frequentemente feminino devido ao “desequilíbrio” hormonal durante o ciclo menstrual ou a gestação.

A regulação do sódio é controlada principalmente pela quantidade de água corporal. Quando a concentração deste mineral aumenta, dois mecanismos são ativados com o propósito de aumentar as concentrações de água no organismo: secreção da hormona antidiurética (ADH) e estimulação da sede.

Sendo assim, pessoas que apresentam edema devem evitar os alimentos ricos em sódio, como sal, alimentos enlatados, congelados, queijos amarelos e enchidos (como chouriço, salame, mortadela e presunto), além de evitar o consumo excessivo de álcool.

A prática de exercício físico é outra estratégia a utilizar para ajudar na diminuição do edema em indivíduos saudáveis.

Por outro lado, algumas frutas e legumes têm efeito diurético, ou seja, facilitam a perda de líquido corporal. São eles: melancia, melão, abacaxi, morango, cenoura, salsão, pepino, tomate, feijão e beterraba. Quando estes alimentos são associados à ingestão de água ou chás, o efeito é ainda maior.

O consumo regular de Linhaça, ajuda os rins a eliminar água e sódio. E isto é fundamental uma vez que retenção de liquido (edema) pode ser associada a inflamação, comprometendo ainda mais a circulação e ter ainda associada alguma forma  de obesidade e síndrome pré-menstrual.

Hidratação

Beba água. Ao contrário do que seria lógico, beber água ajuda de facto na redução dos líquidos retidos. Manter-se hidratado é importante pois quando o corpo sofre de desidratação, ele retém a água como um mecanismo de sobrevivência.

Beber 2 litros de líquidos por dia é uma orientação geral, pois engloba o que a maioria das pessoas precisa para não se sentir com sede e ter uma urina transparente ou amarelo-claro. As pessoas mais ativas podem precisar de mais. Todos os fluidos contam, mas lembre-se de que alguns não são tão saudáveis quanto os outros. E por isso deve-se evite a cafeína e o álcool, pois eles contribuem para a desidratação, assim como bebidas com muito açúcar ou que contenham muita frutose, como os refrigerantes. A melhor opção, é beber bastante água, sumo natural de fruta e legumes, chá de ervas e outras bebidas não cafeinadas permitem que seus rins retirem o excesso de fluidos.

Algumas opções de chás com acção diurética para quem têm dificuldade em beber água

Chá de Cavalina

chá de cavalinha

Por ser uma planta rica em silício e em flavonoides, assim como em vitamina C,  possui pequenas quantidades de óleos e de compostos inorgânicos, tais como o cálcio, o magnésio, o fósforo, o potássio, o ferro e o sódio., essa erva é altamente diurética, pois ajuda na filtração da linfa e consequente eliminação de substâncias tóxicas do organismo. Por isso, ela regula e adstringe o trato genito-urinário, sendo também utilizada para a retenção de líquidos.

Chá Dente de leão

cha-dente-leao

A planta chamada de dente-de-leão (taraxacum officinale), Tradicionalmente, os diuréticos provocam uma perda importante de potássio, o que não acontece com o dente-de-leão, uma vez que esta planta tem um altíssimo teor deste mineral na sua composição.

Chá de hibiscus

 Chá hibiscoÉ rico em substâncias antioxidantes como flavonóides e ácidos orgânicos. Estes nutrientes proporcionam diversos efeitos benéficos, entre eles, a ação diurética, impedindo a retenção de líquidos, e a capacidade de evitar o acúmulo de gorduras, principalmente na região da barriga e quadris.  Ajuda a eliminar as toxinas do organismo, responsáveis pela retenção de líquidos, inclusive o inchaço do período menstrual.

Outras Dicas

  • Não cruze as pernas, isso irá fazer com que diminua a circulação sanguínea.
  • Não utilize roupas justas, isso irá fazer com que aumente a pressão intravenosa e piore o edema.
  • Tente cortar no álcool.
  • Não fume.
  • Coma 6 refeições pequenas, ao invés de 3 grandes.
  • Faça exercício regular, uma caminhada, uma corrida ou andar de bicicleta ou suba e desça escadas podem fazer milagres.
  • Se estiver a ler ou ver televisão, mantenha as pernas elevadas. A gravidade irá ajudá-la a diminuir a retenção de líquidos

Uso de diuréticos convencionais

O uso de diuréticos é muito comum e válido para eliminar o excesso de líquidos, mas, é importante que consulte o medico no caso de uso de um diurético químico pois, “Diuréticos de alça” como o Lasix são os mais comuns e inibem a reabsorção do sódio pela corrente sanguínea, fazendo com que seja eliminada mais água como urina. Esse tipo de diurético é especialmente útil para pacientes que sofrem de deficiência renal, cirrose hepática ou problemas cardíacos. Embora possam eliminar a reserva de potássio do corpo e contribuir para a osteoporose.

Outros tipos de diuréticos químicos incluem as tiazidas, que produzem efeitos semelhantes ao diuréticos de alça (fármacos diuréticos que actuam no rim, aumentando o volume e diminuindo a concentração da urina), e os diuréticos preservador de potássio como a espirolactona, que só inibe a absorção de sódio e não de potássio.

Todo este tipo de medicação deve ter um acompanhado medico pois poderá haver interacções medicamentosas prejudiciais a saúde. A retenção de líquidos na maioria das vezes não é mais que um pequeno e inconfortável incómodo. Se já é algo comum do seu dia-a-dia, por favor consulte um médico da especialidade.

Drenagem linfática

Poderá ainda recorrer a massagem linfática para auxiliar na redução dos edemas (inchaço), e caso não conheça.

O método de drenagem linfática manual foi desenvolvido em 1932 pelo terapeuta dinamarquês Vodder que trabalhava junto com sua esposa na Riviera Francesa.

Vodder observou que a maioria de seus pacientes sofria de constipação, retenção de líquidos e apresentavam os gânglios linfáticos alterados. Ele passou a tratar estes pacientes intuitivamente com massagens que estimulavam estes gânglios atingindo grande êxito com diversos pacientes.

Seu método foi desenvolvido e se tornou muito eficaz. Hoje em dia, a drenagem linfática manual é usada na estimulação da circulação linfática que ajuda o corpo a eliminar toxinas e na nutrição dos tecidos.

A drenagem linfática manual é contra-indicada nos seguintes casos:

Infecções agudas; insuficiência cardíaca descompensada; flebites; tromboses; tromboflebite; síndrome seno carotídeo; hipertensão; certos tipos de afecções da pele; cancro, asma bronquial e bronquite asmática; hipertiroidismo.

Caso o motivo da acumulação de líquidos seja uma enfermidade, a drenagem linfática não funciona isoladamente.

A retenção de líquidos é um fenómeno motivado pela incapacidade de o organismo eliminar fluidos, e que se traduz no aparecimento de edema nos membros inferiores e zona abdominal. A drenagem linfática é uma massagem suave e localizada que permite apenas auxiliar a combater este problema.

Em resumo, no caso da alimentação evitar tanto quanto possível, o sal e alimentos propensos a retenção e optar por alimentos como frutas e legumes com efeito mais diurético. Uma boa ingestão de líquidos, como água e chás. Alguma atividade física, uma vez que a imobilidade é sua “inimiga” e caso necessário recorrer a massagem de drenagem linfática para melhorar a circulação e proporcionar a eliminação de toxinas.

Olhe por sua saúde!….

3 COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.