Os efeitos sinergéticos entre os alimentos

Uma das razões pelas quais tem sido difícil encontrar consensos em relação ao papel da alimentação na saúde deve-se à enorme complexidade bioquímica de um só alimento.

Todo o método de estudo está orientado para uma abordagem reducionista onde se procura isolar um elemento cujas propriedades, quando conhecidas, espera-se que possam ser benéficas para tratar ou evitar um problema de saúde. No entanto, algumas pesquisas têm mostrado que os benefícios atribuídos aos alimentos, como por exemplo, os vegetais enquanto eficazes agentes anticancerígenos, não podem ser reduzidos a um só composto, mas antes à sinfonia de compostos que agem e interagem entre si.

Os efeitos sinergéticos

Muitos são os alimentos que oferecem grandes benefícios para a saúde, mas o que é ainda melhor é conseguir maximizar os resultados comendo dois alimentos em combinação.

Esta associação é conhecida como sinergia alimentar, ou quando vários componentes de alimentos trabalham juntos para oferecer um benefício de saúde ainda maior do que o que está disponível quando consumidos separadamente. Por exemplo, tomate e abacate são um par incrível. O licopeno, que é um antioxidante encontrado no tomate, na verdade é absorvido mais facilmente no trato intestinal quando combinado com gorduras saudáveis do abacate.

Uma boa dupla é também, grão-de-bico e beterraba. Quer seja como sopa, ou salada coberta com beterraba vermelha picada e homus, a vitamina B6 dentro do grão ajuda o organismo a absorver o magnésio que se encontra na beterraba.

Kale (couve) e limão são um casal perfeito. Juntos, a vitamina C, abundante nos limões, ajuda a absorver o ferro das folhas da couve. Este mesmo princípio pode ser alcançado se o feijão for consumido com pimentão rico em vitamina C.

No geral, é fácil maximizar os benefícios de saúde de vários alimentos quando se tem uma dieta variada e equilibrada.

Prevenção alimentar

Num enquadramento para uma alimentação com orientação em casos oncológicos, não só são muitos os mecanismos biológicos responsáveis pelo desenvolvimento do cancro, como também existe uma ação sinergética entre as várias substâncias que compõem um ou vários alimentos e que afetam a sua ação química.

Embora existam substâncias químicas capazes de interferir com vários processos relacionados com o cancro, tais como a apoptose, a angiogénese, a expressão de genes ou a inflamação, nem sempre quando se isola um desses químicos se observam os mesmos benefícios.

Este processo de isolar e aplicar um componente de forma isolada, obedece a um processo orientado para uma abordagem farmacológica, onde se procuram moléculas sintetizáveis em laboratório, passíveis de serem posteriormente comercializadas.

Para ilustrar este princípio tome-se como exemplo um estudo (1) no qual se buscou conhecer a ação protetora de suplementos de beta-caroteno no cancro do pulmão. Uma vez que várias pesquisas mostraram que o consumo de vegetais e frutos verdes e amarelos, por serem ricos em beta-caroteno, pensou-se que este fitoquímico pudesse ser quimiopreventivo quando tomado em forma de suplemento.

No estudo (1,2) em causa, os fumadores não obtiveram o resultado esperado do suplemento alimentar chegando mesmo a observar-se um aumento na incidência de cancro do pulmão.

Alimentação quimiopreventiva em oncologia

Várias razões contribuem para a importância do alimento completo para uma dieta quimiopreventiva:

o A interação entre nutrientes e substâncias: vários estudos mostram como a interação de certas moléculas potencia os seus efeitos. Esta sinergia pode acontecer entre os componentes de um alimento ou entre vários alimentos diferentes.

o Os vários mecanismos associados ao desenvolvimento do cancro: uma vez que nenhum alimento contém, só por si, todas moléculas que possam agir sobre todos esses processos, será necessário combinar vários alimentos e garantir que várias moléculas diferentes, com um espectro grande de ação sobre os mecanismos do cancro estejam presentes numa refeição. Trata-se de “quanto mais melhor”.

o Existem milhares de fitoquímicos nos alimentos vegetais, sendo uma grande parte deles desconhecidos, os quais podem ter propriedades importantes na quimioprevenção ainda por descobrir.

acafrao-curcuma

o A curcumina, fitoquímico presente no açafrão-das-Índias tem uma biodisponiblidade muito baixa, ou seja, é pouco assimilado pelo organismo sendo rapidamente eliminado. Esta molécula tem inúmeras propriedades anticancerígenas tais como: inibição da inflamação, indução da apoptose, inibição da angiogénese, entre outras. Quando consumido com pimenta-preta, a sua biodisponibilidade aumenta de forma significativa.

o Da mesma forma, as propiedades anti-inflamatórias desta especiaria vêm-se aumentadas quando consumida juntamente com gengibre.

o A curcumina presente no açafrão-das-Índias parece aumentar a eficácia de vários medicamentos

o A curcumina interage sinergéticamente com outros polifenóis tais como: a genisteína da soja ou a EGCG do chá verde.

tomate corpo em forma

o O licopeno é um antioxidante natural responsável pela cor vermelha de alguns frutos e legumes, tais como: o tomate, a melancia e a batata-doce. Estudos epidemiológicos mostram que o seu consumo está inversamente relacionado com a incidência de vários cancros, em particular o cancro da próstata. Um estudo clínico de fase II sugere que o consumo de produtos ricos em licopeno e soja é mais eficaz a diminuir os níveis de PSA do cancro da próstata do que quando consumido individualmente.

o Um estudo sugere que quando consumidos em simultâneo, tomates e brócolos são mais eficazes a inibir o crescimento do cancro da próstata. Além disso, os tomates quando cozinhados com um pouco de azeite possibilitam uma maior absorção dos seus fitoquímicos.

chá-verdeVários estudos epidemiológicos sugerem que o chá verde pode ser eficaz a prevenir vários tipos de cancro. O principal componente responsável pelas suas propriedades anticancerígenas é um polifenól chamado epigalocatequina-3-galate (EGCG). Quando consumido com vitamina C (como o sumo de limão), as catequinas presentes no chá são melhor absorvidas pelo organismo.

o As crucíferas são uma fonte rica em fitoquímicos com propriedades anticancerígenas. Alguns deste fitoquímicos aumentam a eficácia das enzimas de fase II, responsáveis pela eliminação de substâncias cancerígenas do organismo. Um estudo sugere que dois desses fitoquímicos, o I3C e o Crambene são mais eficazes quando estão ambos presentes.
Além disso, certos fitoquímicos parecem ter um efeito potenciador de alguns tratamentos de cancro:

o A EGCG presente no chá verde parece aumentar a eficácia do medicamento, Erlotinibe, utilizado na forma de cloridrato é um fármaco utilizado no tratamento de cancro de pulmão.

Sugestões de algumas combinações sinergicas:

– Maçã com tangerina – Bom para atletas e idosos, o suco é rico em potássio e ajuda a evitar a fadiga e as câimbras. Também tem altas doses de vitamina A, fósforo e niacina, que ajuda a diminuir o colesterol.

– Banana com água de coco – Rico em sais minerais como potássio e fósforo e vitaminas do complexo B, o suco é indicado para atletas ou pessoas que perderam muito líquido. Por causa do alto teor de glicose, também serve para dar mais energias em casos de apatia.

sumos naturais

– Manga com couve – O vegetal é uma excelente fonte de vitamina C e ferro. Já a manga é rica em gorduras boas e vitamina A. É um bom complemento alimentar para quem é vegetariano ou está anémico.

– Limonada com agrião – Indicado por quem está de dieta ou não quer engordar, o sumo tem pouquíssimas calorias e pode ser consumido durante o dia por quem quer uma bebida saudável ou substituir outro tipo bebida artificial. O agrião, rico em beta-caroteno, ajuda a manter o bronzeado.

– Maracujá com gengibre – Refrescante, a mistura é boa para quem está com a imunidade baixa. O gengibre age como descongestionante, fortalece o sistema imunológico e equilibra o metabolismo. Já o maracujá atua como calmante e anti-inflamatório.

– Cenoura com maçã e beterraba – Indicado para crianças que comem poucos vegetais ou adultos que abusaram do sol, o sumo é rico em antioxidantes que fortalecem o organismo. A cenoura é fonte das vitaminas A e C, a beterraba contém grandes quantidades de ácido fólico, e a maçã ajuda a dar um sabor mais suave suave à mistura.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.