Sendo consideradas pela legislação portuguesa como género alimentício, as pastilhas elásticas são um produto com elevado consumo, quer seja por adultos quer por crianças.

E o simples acto de as mastigar pode ter uma série de repercussões no organismo.

mastigar-pastilha

Existem vestígios do uso de substâncias com propriedades elásticas em várias regiões do nosso planeta, e crianças e adultos têm vindo a mastigar gomas de várias formas a milhares de anos.

Hábito que pode ser viciante para alguns, e nojento para outros e para alguns é algo que se consome esporadicamente ou mesmo nunca.

As gomas de mastigar têm vários nomes dependendo do país, mas a mais conhecidas será talvez a chiclete, ou chewing gum. Em Portugal é conhecida por pastilha elástica, ou chuinga em Moçambique e Angola.

É um produto produzido para ser mastigado e não engolido.

A origem

A origem do hábito de mastigar chiclete é controversa. Alguns autores afirmam que o hábito de mastigar gomas surgiu entre os índios da Guatemala, que mascavam uma resina extraída de uma árvore denominada chicle com a finalidade de estimular a salivação.

Para outros, o hábito surgiu entre os Maias, no México, que mascavam uma goma obtida de um látex que escorria de cortes de uma árvore conhecida como Sapota zapotilla, hábito que os Astecas posteriormente assimilaram. Também na Grécia antiga era comum mastigar a resina de uma árvore chamada mastiche para lavar os dentes e eliminar o mau hálito.

A pastilha elástica fez furor nos tempos de guerra, mais precisamente durante e após a segunda guerra mundial, ao aumentar a sua popularidade, não só nos Estados Unidos mas ainda um pouco por todo o mundo. Tendo em conta que a pastilha elástica foi utilizada como forma de terapia relaxante para o stress diário de que todos eram vitimas. E ainda para evitar o congelamento do maxilar durante as grandes emboscadas nocturnas que duravam horas com corpos expostos ao frio.

O que é leva uma goma de mastigar ?

As primeiras gomas eram feitas de uma espécie de goma obtida de látex que escorria dos cortes feitos nas árvores com o nome de Sapota Zapotilla.

Com a sua popularização, os fabricantes tiveram de procurar novos produtos que substituíssem as resinas naturais e passaram a utilizar “goma base” sintetizada a partir de derivados do petróleo.

A goma base da pastilha varia consoante o fabricante, sendo este um segredo bem guardado e estes adquiriram o direito de não mencionar a composição detalhada dos seus produtos no rótulo.

Se reparar, na lista de ingredientes de uma qualquer embalagem de pastilha elástica encontramos adoçantes, aromatizantes, corantes … e “goma base”. Assim, sem mais detalhes!

As receitas podem variar consoante a marca, mas todas as gomas de mastigar têm os seguintes ingredientes básicos:

  • Goma base: A base não digerível, de borracha usada para dar a sua qualidade mastigável.
  • Resina: geralmente adicionada para dar elasticidade e manter a sua integridade.
  • Enchimentos: tal como carbonato de cálcio ou talco, utilizados para dar textura a goma.
  • Conservantes: Estes são adicionados para prolongar a vida na prateleira. A escolha mais popular é um composto orgânico chamado hidroxitolueno butilado (BHT).
  • Amaciadores: São utilizados para reter a humidade e impedir a goma de endurecer. Estes podem incluir ceras, tais como parafina ou óleos vegetais.
  • Edulcorantes:  Incluem o açúcar de cana, beterraba e xarope de milho. Gomas sem açúcar usar álcoois de açúcar como xilitol ou adoçantes artificiais como o aspartame.
  • Aromas: Adicionado para dar um sabor desejado. Podem ser naturais ou sintéticos.

Todos os ingredientes utilizados no processamento de goma de mastigar tem que ter “grau alimentício” e classificadas como próprias para consumo humano.

São os ingredientes da goma de mastigar seguros?

Pedaço de goma de mascar

Em geral, a goma de mastigar é considerada segura.

No entanto, alguns tipos de goma de mascar contêm pequenas quantidades de ingredientes controversos.

Mesmo nestes casos, os valores são geralmente muito menores do que os valores considerados a causar danos.

Hidroxitolueno butilado (BHT)

É um conservante e antioxidante usado como base de chiclete, é também estabilizador de emulsão de gorduras, usado em arroz enriquecido e em banha e gorduras sólidas comerciais que contenham gordura animal. É usado também para retardar a rancificação de linguiça de porco e carne-seca congeladas.

Seu uso é controverso, pois alguns estudos com animais demonstraram que doses elevadas pode causar cancro. No entanto, há muito poucos estudos em humanos, de modo que seus efeitos sobre as pessoas são relativamente desconhecidos.

No entanto, em baixas doses de cerca de 0,25 mg por kg, BHT é considerado geralmente seguro, tanto pela FDA e AESA.

Dióxido de titânio

O dióxido de titânio é um aditivo alimentar comum usado para branquear produtos e dar-lhes uma textura suave.

Alguns estudos com animais têm associado doses muito elevadas de dióxido de titânio com o sistema nervoso e danos de órgãos em ratos.

No entanto, estudos têm fornecido resultados mistos, e seus efeitos em humanos são relativamente desconhecido.

Actualmente, a quantidade e tipo de dióxido de titânio a que as pessoas são expostas nos alimentos é geralmente considerada segura. No entanto, é necessária mais investigação para determinar o limite de consumo seguro.

Aspartame

Aspartame é um adoçante artificial geralmente encontrado em alimentos sem açúcar.

Constituído por dois aminoácidos, fenilalanina, ácido aspártico e um álcool, o metanol.

É altamente controverso e tem sido reivindicado causar uma série de problemas como, deste dores de cabeça, a obesidade ao cancro.

Há que salientar que estes três componentes do aspartame (fenilalanina, ácido aspártico e um álcool) podem causar danos à saúde. Só que para que eles possam causar esses danos, é preciso que sejam ingeridos em alta quantidade. E talvez por isso, que não haja uma grande evidência de que o aspartame possa causa cancro ou aumente peso.  À data, a evidência de uma ligação entre o aspartame e síndrome metabólica ou dores de cabeça também é pouca ou inexistente.

pastilha-elastica

Benefícios

Um estudo britânico levado a cabo por investigadores da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Plymouth, validado pela Fundação Britânica de Saúde Oral publicado no “British Dental Journal” concluiu que se todas as pessoas mastigassem pastilhas elásticas sem açúcar três vezes por dia o sistema de saúde pouparia mais de três milhões de euros em tratamentos dentários.

Segundo o estudo as pastilhas sem açúcar previnem doenças dentárias, porque neutralizam os ácidos da placa bacteriana e ajudam a limpar resíduos alimentares.

Ainda assim, escovar os dentes durante dois minutos duas vezes por dia é o método mais eficaz para uma boa limpeza oral.

A investigação publicada na revista Brain and Cognition (estudo) refere que até oito áreas cerebrais podem ser afetadas pelo simples acto de mascar uma pastilha elástica, por estimular áreas localizadas junto a pontos neurológicos, melhorando o fluxo sanguíneo no cérebro.

Mastigar pastilha elástica permite uma maior activação de certas áreas cerebrais e este efeito relaciona-se com melhor aptidão no desempenho de certas funções superiores, como a memória de trabalho, maior rapidez de reacção e melhor controlo motor, assim como um melhor processo cognitivo.

Mais interessante é verificar que o uso de pastilhas elásticas favorece a recuperação de doentes submetidos a cirurgia digestiva, diminuindo o tempo necessário até que o intestino volte a funcionar normalmente.

Mais ainda, estes efeitos, quando estendidos no tempo pela prática continuada de mastigar, associam-se a menores índices de depressão e a maior bem-estar.

Existem ainda dados muito recentes que apontam também benefícios ao nível da pressão arterial, por exemplo.

Mastigar pastilha ajudar a perder peso?

Mastigar chiclete ou pastilha elástica pode ajudar a diminuir a ingestão de calorias e perder peso,  pois pode ajudar a reduzir a sensação de fome e por consequência, a comer menos.

E apesar de ser necessário mais estudos nesta matéria, e de ainda de alguns terem resultados não conchicletsclusivos, alguns indicam que;
Há alguma evidência de que mastigar pastilha pode aumentar a taxa metabólica.

Também têm sugerido que a mastigação pode reduzir o apetite, o que poderia impedir de comer em excesso.

Um pequeno estudo descobriu que a goma de mastigar após o almoço diminui a fome e redução lanches no final do dia por cerca de 10%. Outro estudo mais recente encontraram resultados semelhantes.

Um outro estudo descobriu que quando os participantes mascavam chiclete, queimaram cerca de 19% mais calorias do que quando eles que não mastigavam pastilha elástica.

No entanto, como já referido é necessária mais investigação para determinar se a goma de mastigar leva a uma diferença no peso a longo prazo.

Outros benefícios para a saúde

Além dos benefícios já referidos acima, as gomas de mastigar têm sido associadas a outros benefícios.

tais como:

  • Previne infecções de ouvido em crianças: Alguns estudos têm sugerido que a goma contendo xilitol poderia prevenir infecções do ouvido médio nas crianças.
  • Ajudar a parar de fumar: Goma de nicotina poderá ajudar as pessoas a parar de fumar.
  • Ajuda o intestino a recuperar se após a cirurgia: Estudos têm demonstrado que a goma de mascar após uma operação (1) poderia acelerar o tempo de recuperação.

Estudos descobriram que as gomas de mascar adoçadas com o álcool de açúcar (que são outros substitutos populares de baixa caloria para o açúcar), como o xilitol são mais eficazes do que outras gomas sem açúcar na prevenção da cárie dentária.

Isto porque o xilitol impede o crescimento das bactérias que causam a cárie dentária e mau hálito.

Na verdade, um estudo descobriu que a goma de mascar adoçado com xilitol reduziu a quantidade de bactérias prejudiciais a boca por até 75%.

Efeitos colaterais

Apesar de haver algumas potências vantagens em mastigar pastilha elástica, estas podem sabem causar alguns efeitos colaterais indesejados.

Pastilhas sem açúcar contém laxantes e FODMAPs

Os açúcares utilizados para adoçar as chiclete sem açúcar tem um efeito laxante quando usados em grandes quantidades.

Isto significa que a mastigação muitas pastilhas ou chicletes de goma sem açúcar pode causar desconforto digestivo e diarreia.

Além disso, todos estes açúcares são FODMAPs (Fermentable Oligo-, Di-, Mono-saccharides and Polyols), o que significa que podem causar problemas digestivos para as pessoas com a síndrome do intestino irritável (IBS).

Pastilhas adoçadas com açúcar são prejudiciais aos dentes

As pastilha são adoçadas com açúcar que lhes dar sabor e serem atractivas para as crianças, no entanto estas são extremamente prejudicial para os dentes.

Isto porque o açúcar é digerido pelas “más” bactérias na boca, causando um aumento na  placa bacteriana sobre os dentes e cárie dentária ao longo do tempo.

Comer muito açúcar também está associado com um grande  número de problemas de saúde tais como a obesidade, resistência à insulina e diabetes.

Muitas vezes pode causar ainda problemas na mandíbula

Tem sido sugerido que a mastigação constante pode levar a um problema na mandíbula chamada disfunção temporomandibular (DTM), que causa dor ao mastigar.

Embora esta condição seja rara, alguns estudos têm encontrado uma ligação entre a mastigação excessiva e DTM.

Uma revisão recente encontrou uma ligação entre mascar goma regularmente, enxaquecas e dores de cabeça tensionais em pessoas propensas a estas condições.

Qual deve escolher?

Se gosta de mastigar pastilha elástica, o é melhor escolher uma pastilha sem açúcar com xilitol.

A principal excepção a esta regra é para as pessoas com IBS (síndrome do intestino irritável). Isto porque a pastilha sem açúcar contém FODMAPs, o que pode causar problemas digestivos nestas pessoas.

Alternativamente, aqueles que não podem tolerar FODMAPs devem escolher uma pastilha adoçada com adoçante de baixa caloria, como stevia .

Certifique-se de ler a lista de ingredientes das suas pastilhas para se certificar de que não contém qualquer outra coisa a que possa ser intolerante.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.