Como não alimentar a Candida

Uma das infecções intestinais mais comuns é o crescimento excessivo de um tipo de fungo chamado Candida albicans. A infecção é tecnicamente chamada candidíase, ou seja, trata-se de uma infecção fúngica.

O que é a Candida albicans?

O nome Candida albicans significa “doce e branca”, sugerindo algo delicado e puro, mas na realidade a Candida albicans é um micróbio íntimo, um fungo, que se multiplica, migra e liberta toxinas.

candida-albicans

E todos nós temos uma certa dose de Candida, parte de uma ecologia intestinal normal e equilibrada; todavia, quando cresce de mais, pode importunar-nos com inúmeros sintomas, tanto físico como mentais:

Sintomas causados por Candida

Problemas intestinais, alergias, fadiga extrema, disfunção hormonal, problemas cutâneos, dores nas articulações e músculos, candidíase, infecções e distúrbios emocionais, muitos dos quais imitam outras doenças e muitas vezes são mal diagnosticados.

Onde se pode ocorrer a candidíase

A candidíase como já referida é uma infecção causada pelo crescimento excessivo do fungo Candida que, normalmente, acontece quando existe um enfraquecimento do sistema imunitario ou porque se fez tratamento com antibióticos, por exemplo.

Este tipo de infecção pode surgir em homens ou mulheres e tem cura, sendo seu tratamento feito com pomadas ou remédios que eliminam os fungos que estão provocando a doença, ajudando no alívio dos sintomas. Mas também através de um alteração na alimentação que pode ajudar a evitar recidivas e a melhor a condição de saúde.

candidiasis
Orgãos e tecidos afectados por Candida albicans – Imagem Dreamstime.com

Este fungo está presente na orofaringe de cerca de 30-55% dos adultos jovens saudáveis e pode ser detetado em cerca de 40-65% da flora normal das fezes.

Estes fungos são considerados oportunistas porque, em condições de saúde, não causam doença mas, quando o hospedeiro se encontra diminuído, provocam infeção.

A candidíase genital é uma das formas mais frequentes de infeção e afeta a vagina ou o pénis.

O fungo Candida normalmente reside na pele e nos intestinos. A partir destas zonas pode propagar-se para os órgãos genitais. A Candida não é habitualmente transmitida por via sexual.

A candidíase genital tem-se tornado muito frequente, sobretudo devido ao uso cada vez maior de antibióticos, contracetivos orais e outros medicamentos que modificam as condições da vagina favorecendo o crescimento do fungo. A candidíase é mais frequente entre as mulheres grávidas ou que estão menstruadas e nas diabéticas.

Infecções cutâneas por Candida podem ocorrer em quase qualquer área do corpo, mas são mais comumente encontradas em regiões intertriginosas. É onde duas áreas da pele se tocam ou se esfregam juntas. Essas áreas incluem as axilas, virilha e dobras cutâneas, bem como a área entre os dedos das mãos e dos pés. O fungo prospera em condições quentes, húmidas e suadas.

Dieta anti-Candida

O objectivo de uma dieta anti-Candida é o de cortar o fornecimento de candida dietaçúcar à Candida, o que deve melhorar rapidamente os seus sintomas digestivos e deixar de alimentar o crescimento da Candida. Todas as formas de açúcar devem ser rigorosamente evitadas, incluido a lactose (açúcar do leite), o malte e a frutose (açúcar da fruta).

Os carbo-hidratos refinados aumentam a quantidade de glicose no corpo, pelo que é essencial usar apenas farinhas, arroz e outros cereais integrais.

A maneira mais simples é seguir uma dieta de carga glicémica reduzida, pois esta garante a exclusão do açúcar e a ingestão apenas de carbo-hidratos complexos de libertação lenta.

Outras substancias a evitar são a levedura  (pão e pastas para barrar), os produtos fermentados (álcool e vinagre), os bolores (queijos e cogumelos) e os estimulantes (café e chá).

Muitas vezes, a candidíase provoca desejos dos nosso alimentos favoritos nestas ocasiões é preciso muita força de vontade para manter a dieta e resistir a tentação. Mesmo quando os sintomas relacionados com a Candida desaparecem por completo, a dieta deve ser mantida durante vários meses para consolidar o recém corrigido equilíbrio da flora intestinal. Em pouco tempo, a vontade de comer doces desaparece, tornando-se mais fácil manter uma dieta isenta de açúcar.

Os melhores alimentos 

  • Vegetais
  • Peixe
  • Oleaginosas, sementes, leguminosas
  • Cereais integrais

Os piores alimentos 

  • Açúcar
  • Todos os carbo-hidratos que libertam leveduras
  • Alimentos fermentados e ricos em leveduras (pão, álcool, vinagre)

Suplementos que ajudam

Para reforçar o sistema imunitário

É importante reforçar os sistema imunitário com suplementação, para que ele possa desempenhar o seu papel no controlo da Candida. Importa também  corrigir desequilíbrios glicémicos e desintoxicar o organismo, isto porque a Candida gera as suas próprias toxinas.

imune cells

Tal implica aumenta a vitamina C e outros antioxidantes. Também é recomendável incluir suplementos concebidos para melhorar a digestão, com enzimas e probióticos e, idealmente, glutamina – uma  animoácido que ajuda a curar o intestino.

Tomar suplementos antifúngicos

Por mais incrível que possa parecer, um dos melhores suplementos para combater a Candida é ele próprio uma levedura, chamada Saccharomyces boulardii. Trata-se de uma levedura não colonizadora, o que significa que nunca irá residir permanentemente no intestino. À sua passagem, estimula a produção intestinal de um componente imunitário chamado imunoglobulina A secretora (IgAS). Quantidades maiores desta imumoglobulina forma a fixação da Candida na parede intestinal cada vez mais difícil.

Esta levedura também contribui para tornar o meio intestinal mais hospitaleiro para as bactérias amigáveis, aumentando assim as hipóteses de eliminação.

Outros agente eficazes anti-Candida é o ácido caprílico (um ácido gordo que ocorre naturalmente no coco), os orégãos e o extrato de folha de oliveira. Estes antifúngicos adicionais agem directamente para impedir o crescimento excessivo da Candida

Ácido caprílico

É um dos agentes antifúngicos mais úteis. Tem como grande vantagem o facto de não afectar a flora intestinal amigável. Quando tomado sob a forma de caprilato de cálcio/magnésio, sobrevive aos processos digestivos e é capaz de alcançar o cólon, onde a Candida reside.

Óleo de orégão

É outro excelente antifúngico que tem a vantagem de atravessar a parede intestinal, pelo que pode ser a melhor escolha se tiver sintomas fúngicos noutras áreas do corpo, como o pé atleta.

A folha de Oliveira 

Contém um ingrediente activo chamado oleuropeína, que ajuda a matar a Candida e é também antioxidante.

A artemísia

Também conhecida como erva-de-são-joão é uma planta aromática com propriedades antifúngicas de amplo espectro, útil contra um agrade variedade de agentes patogénicos sem perturbar a flora amigável.

Recolonizar o intestino com probióticos

É necessário suplementação para recolonizar a flora intestinal com bactérias amigáveis e que tenham a função e capacidade de aumentar a acidez ao produzir ácido láctico e ácido acético inibir os microorganismos patogénicos que disputam por espaço.

O Lactobacillus acidophilus é o colonizador principal do intestino delgado e Bifidobacteria bifidum habita no intestino grosso e vagina; Este microorganismo também produz vitaminas B e ajuda na digestão dos lácticos. Outras bactérias úteis são o Lactobacillus bulharium e o Streptococcus thermophilus, que também produzem ácido láctico durante a sua passagem pelo intestino. Estas bactérias amigáveis estão presentes no iogurte, que, como tal. é um alimento útil desde que não se seja intolerante aos lacticínios.

Para garantir a passagem segura destas bactérias através dos sucos gástricos, é necessário transporte-las numa cápsula que forneça um grande numero de microorganismo viáveis sob a forma liofilizada.

Fazer frente a “destoxificação”

Em fase florescente, a Candida liberta um mínimo de 79 toxinas conhecidas, quando morta, liberta ainda mais. Levando a uma sob carga toxica no organismo e por consequência, proporciona ao aparecimento de sintomas antigos, como a sensação de músculos doloridos, cabeça zonza, depressão náuseas e diarreia causado pela carga toxina.

detoxficicação do intestino

O segredo convite em destruir a Candida devagar, mas de uma forma segura, para que ela não morra mais depressa do que o organismo consegue eliminar as toxinas. A destoxificação inicial é geralmente desencadeada pela dieta e pelas vitaminas e minerais á medida que estes reforçam o sistema imunitário para enfrentar a Candida. Normalmente esta estratégia é suficiente e eficaz para a maioria das pessoas, pelo que não devem ser adicionados antifúngicos a esta altura.

Beber bastantes líquidos e consumir bons níveis de vitamina C, vitaminas B acelerará o processo e o ácido caprílico acabará por fazer o resto.

Tenha em conta

Não deve seguir este tipo de dieta restritiva caso não tenho feito uma analise clinica que confirme a existência de candidíase. Quantidades insuficientes dos agentes anti-Candida serão ineficientes, mas um excesso pode fazer com que sinta pior durante a destoxificação. É melhor seguir as sugestões em cima sob a supervisão de um nutricionista, que pode aconselhar quanto aos suplementos correctos em cada etapa da recuperação.

Olhe por sua saúde!!!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.