Alimentos polióis na dieta FODMAPs

A dieta FODMAPs tem vários grupos de açucares diferentes que vão influenciar de forma diferente a fermentação no intestino. Dentro dos vários grupos que compõem a dieta Fodmaps encontramos os polióis, um grupo de açucares pouco conhecidos mas que está presente em muitos dos alimentos consumidos, principalmente como açúcares escondidos.

açucares polióis

Como os conhecer melhor.

“Fodmaps” são hidratos de carbono de cadeia curta, que se encontram numa grande variedade de alimentos, tais como;

  • De Frutose: Um açúcar simples encontrado em muitas frutas, legumes e açúcares adicionados. Em que há um excesso de frutose, como por ex: em pêras, maçãs.
  • De Lactose: Um carbo-hidrato encontrado em produtos lácteos, como o leite e iogurte.
  • De Frutanos: Encontrado em muitos alimentos, incluindo grãos de glúten, como trigo, centeio e cevada, ou ainda na alcachofra, alho e cebola.
  • De Galactanos: Encontrado em grandes quantidades em leguminosas.
  • E Polióis: Os álcoois de açúcar como xilitol, sorbitol, maltitol, isomalte e manitol. Eles são também encontrados em algumas frutas e legumes, e muitas vezes usados como adoçantes.

O que são os Polióis?

Os Polióis são hidratos de carbono fermentáveis (fodmaps) ou mais conhecidos por açucares álcoois pela comunidade cientifica, embora estes não estejam relacionados com o álcool. Estes podem ser encontrados como açucares naturais em algumas frutas e vegetais, ou serem extraídos e sintetizados industrialmente como adoçantes ou espessantes, uma vez que são ligeiramente menos doces que a sacarose (açúcar) e têm menos calorias. Sendo muito utilizados para produtos da dieta de diabéticos ou perda de peso.

Por isso, é normal serem utilizados como aditivos em produtos processados (chocolates, doces e bolos, pastilhas elásticas, pasta de dentes, elixir de limpeza bucal, medicamentos ou xaropes, suplementos nutricionais e dietéticos, etc), uma vez que os Polióis conferem doçura, volume, sensação de frescura e textura a esses produtos.

Tipos de polióis

Os polióis mais utilizados são o Eritritol, o Sorbitol, o Manitol, o Isomalte, o Lactitol, o Maltitol e o Xilitol. Sendo que na dieta fodmap são tidos em conta os últimos seis tipos de Polióis, uma vez que o eritritol é facilmente absorvido pelo intestino delgado, não causando sintomas desagradáveis no intestino. Ou mesmo que não consiga ser absorvido, os ensaios indicam que o eritritol é pouco digerido pelas bactérias intestinais, ou seja, não causa gases e é eliminado praticamente por completo pela urina ou fezes.

O Sorbitol (E420/420) pode ser encontrado facilmente em frutas como as maçãs, damascos, abacate, amoras, cerejas, nectarina, pêssegos, pêra, ameixas frescas e desidratadas. Mas também é extraído do xarope de milho e reduzido da glucose para ser usado como adoçante artificial nos produtos alimentares, uma vez que tem aproximadamente 60% da doçura e calorias do açúcar normal. Nestes casos, é classificado nos rótulos como sendo o aditivo E420 ou 420 ou até mesmo glucitol, visto que são todos sinónimos do nome Sorbitol.

O Manitol (E421/ 421) é um açúcar natural que se encontra numa variedade de frutas e vegetais, como a melancia, couve-flor, aipo, ervilha e batata-doce. Mas também pode ser fabricado a partir de frutose extraída do amido de milho ou retirado directamente dos vegetais e algas marinhas para ser usado como adoçante artificial nos produtos alimentares e medicamentos. Neste caso, quando temos que verificar os rótulos dos produtos processados com Manitol, este é classificado como aditivo alimentar E 421 ou 421.

O Isomalte (E 953/ 953) é um açúcar composto por sorbitol e manitol, ou seja, resulta da extracção da frutose do açúcar de cana que é convertida em dois dissacarídeos: glicose-sorbitol (glico-sorbitol) e glicose-manitol (gluco-manitol). Tal como os Polióis da sua composição, o Isomalte é um adoçante artificial também utilizado em vários tipos de produtos alimentares e medicamentos, por isso é preciso estar atento aos rótulos e quantidades com o aditivo E 953 ou 953.

Maltitol (E965/ 965) é outro dos Polióis mal absorvidos que é fabricado pela hidrogenação da maltose, um açucar derivado do amido. É também um adoçante muito utilizado para substituir o açúcar nos produtos dietéticos, pois o maltitol tem 90% da doçura do açúcar, mas apenas metade das calorias. Sendo designado como aditivo alimentar E965 ou 965.

O Xilitol (E967/ 967) está presente naturalmente em frutas e vegetais como as framboesas, os morangos e as abóboras. No entanto, muitas destas frutas e vegetais são considerados baixos em fodmap porque a quantidade de xilitol é muito reduzida. O problema é quando é usado em grandes quantidades como adoçante artificial em produtos processados e medicamentos, uma vez que o xilitol pode ser extraído facilmente de plantas e vegetais. Por isso, convém estar atento para as quantidades de xilitol consumidas como aditivos E967 ou 967 ou também chamado de açúcar de bétula.

Por último, como o próprio nome indica, o Lactitol (E966/ 966) é um açúcar álcool derivado do soro de leite ou iogurte rico em lactose. Por norma, é misturado com outros adoçantes artificiais para ser usado em pastilhas elásticas, doces e gelados. Nos rótulos pode aparecer como aditivo E966 ou 966 ou apenas lactitol.

Porquê os Polióis são mal absorvidos? E como podem afectar o nosso intestino?

Existe muitas pessoas que apresentam dificuldades em absorver estes Polióis. Aliás, segundo os ensaios realizados, verifica-se que em média apenas cerca de 1/3 da quantidade dos Polióis consumidos são absorvidos pelo nosso intestino delgado, claro que esta percentagem depende da pessoa e o tipo de açúcar a digerir.

Este facto deve-se aos Polióis não possuírem mecanismos específicos para o seu transporte através da parede intestinal. Desta forma, são absorvidos mais lentamente por um processo chamado de difusão passiva, o qual é menos eficiente e dependente de factores como a velocidade do transporte e o tamanho do poliol, que geralmente é demasiado grande para passar no poro da parede celular do intestino delgado. Em muitos casos, esta absorção não acontece e os Polióis acabam por continuar para o intestino grosso aonde são digeridos e fermentados pelas bactérias intestinais, agravando o aumento de gases e inchaço.

Sintomas do consumo de Polióis em excesso

Os Polióis são conhecidos pelo seu efeito laxante e é por isso que muitos produtos com este açúcar adicionado, como é o caso das pastilhas elásticas, contêm o aviso de que o seu consumo em excesso pode ter efeitos laxativos, tal como exigido pelos regulamentos da comunidade europeia para as alergias alimentares. Isto deve-se ao facto de estes açucares álcoois absorverem e extraírem a água para o interior do intestino grosso, o que faz mover a comida mais rapidamente através do intestino. Assim, os sintomas mais comuns são:

  • Diarreia
  • Flatulência e inchaço
  • Desconforto e dor abdominal

Claro que a intensidade destes sintomas varia para cada pessoa, principalmente se esta tem um intestino mais sensível ou sofre da síndrome do intestino irritável. E também depende da capacidade de absorção do intestino de cada individuo, bem como, da quantidade de Polióis ingeridos diariamente.

Os perigos de consumir Polióis em excesso

Embora os Polióis tenham bons resultados ao substituir o açúcar nos produtos para controle de peso e diabetes e na prevenção das cáries dentárias. A verdade é que o seu consumo em excesso e continuo, tem mais probabilidade de contribuir para os sintomas digestivos descritos anteriormente, principalmente para quem tem um intestino sensível ou inflamado.

Por norma, recomenda-se não exceder a quantidade diária de 50g de Polióis para não sofrer destes efeitos laxativos, contudo dependendo da pessoa e a sua saúde digestiva, pode até bastar apenas 10g de Polióis ingeridos para iniciar estes sintomas.

Por isso, é preferível manter-se um consumo de Polióis maioritariamente de alimentos frescos e minimamente processados. Estes são geralmente melhores para a saúde e muito menos propensos a conter grandes quantidades que possam agravar o desconforto digestivo.

Em todo o caso, para quem tem um intestino mais sensível ou esteja a seguir a fase de eliminação da dieta fodmap, mesmo para os alimentos naturais deverá ter o cuidado de respeitar as quantidades de Polióis sugeridas. Para não sofrer de sintomas de excesso de gases ou diarreia devido à acumulação destes açucares no intestino. O melhor será mesmo começar por frutas e legumes com pouca quantidade de polióis (fodmaps) e ir aumentando o seu consumo se não sentir o agravamento dos seus sintomas.

Como consumir os Polióis na dieta Fodmap

O aconselhado será manter um consumo em quantidades toleráveis dos Polióis na dieta fodmap, evitando os alimentos com quantidades em excesso como indicado na lista de alimentos fodmaps. Sendo que o maior cuidado deverá ainda ser com os supostos Polióis escondidos em diversos alimentos processados e medicamentos em que estão adicionados como adoçantes artificiais, sem nos apercebermos disso. Por isso, o primeiro passo a seguir, é ler bem os rótulos dos produtos a consumir, mesmo que digam ser produtos sem açúcar adicionados, para confirmar se existe algum Poliól adicionado e assim, poder evitar o efeito acumulativo dos Polióis no nosso intestino.

É preciso também relembrar que cada pessoa, mesmo com a síndrome do intestino irritável ou outro problema digestivo, vai tolerar os Polióis de forma diferente. De facto, para as pessoas com tendência para a obstipação podem verificar que as propriedades laxantes dos Polióis podem ser úteis para melhorar a sua condição, quando consumidos em doses adequadas e sem excessos.

No entanto, convém referir que no caso do açúcar Eritritol, apesar de ser considerado baixo em fodmaps, alguns estudos científicos sugerem que o eritritol pode aumentar a má absorção da frutose, quando consumidos em conjunto. Ou seja, pode desencadear sintomas do intestino irritável indirectamente através da má absorção da frutose. Isso significa que será melhor ter um consumo baixo de eritritol durante a dieta fodmap para obter resultados mais precisos sobre quais os fodmaps a eliminar e a tolerar.

Normalmente, estes açucares estão presentes em quantidades muito pequenas nos medicamentos que possam ter necessidade de tomar. Isto significa que o mais provável é não causarem efeitos colaterais no intestino, visto que a maioria das pessoas consegue os tolerar. Contudo será melhor perguntar ao vosso médico ou farmacêutico, caso suspeitem que algum destes medicamentos com Polióis possa estar a piorar os vossos sintomas. Nestes casos, é preferível pedir para trocar por outro medicamento alternativo que não contenha este tipo de açúcar.

Espero que estas informações sejam uma boa ajuda para continuarem a procurar as soluções que melhor reduzem os vossos sintomas. E compreender como os Polióis podem e, em muitos casos de excesso, afectam o nosso intestino.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.