Alimentos funcionais ou nutracêuticos, qual a diferença?

alimentos ou nutraceuticos

Os alimentos funcionais fazem parte de uma nova concepção de alimentos, lançada pelo Japão na década de 80, através de um programa de governo que tinha como objetivo desenvolver alimentos saudáveis para uma população que envelhecia. Estes alimentos funcionais devem apresentar propriedades benéficas além das nutricionais básicas, sendo apresentados na forma de alimentos comuns. São consumidos em dietas convencionais, mas demonstram capacidade de regular funções corporais de forma a auxiliar na proteção contra doenças como hipertensão, diabetes, cancro ou osteoporose.

Por sua vez, o nutracêutico é um alimento ou parte de um alimento que proporciona benefícios médicos e de saúde, incluindo a prevenção e/ou tratamento da doença. Tais produtos podem abranger desde os nutrientes isolados, suplementos dietéticos na forma de cápsulas e dietas até os produtos beneficamente projetados, produtos herbais e alimentos processados tais como cereais, sopas e bebidas. Vários nutracêuticos podem ser produzidos através de métodos fermentativos com o uso de microrganismos, fibras dietéticas, ácidos gordos poliinsaturados, proteínas, peptídios, aminoácidos ou cetoácidos, minerais, vitaminas antioxidantes e outros.

O alvo dos nutracêuticos é significativamente diferente dos alimentos funcionais, por várias razões:
Na prevenção e o tratamento de doenças são relevantes os nutracêuticos, apenas na redução do risco da doença, e não na prevenção e tratamento da doença, aqui estão envolvidos com os alimentos funcionais. Enquanto que os nutracêuticos incluem suplementos dietéticos e outros tipos de alimentos, os alimentos funcionais devem estar na forma de um alimento comum.

A capacidade que os nutracêuticos têm de atuar de modo preventivo deve-se, em parte aos fitoquímicos, isto é, a metabolitos secundários encontrados nos alimentos com a atividade biológica.

Os alimentos funcionais dão ao corpo a quantidade suficiente de vitaminas, gorduras, proteínas, hidratos de carbono, necessários à sobrevivência. Devem estar na forma de alimento comum, ser consumidos na dieta e produzir benefícios específicos à saúde (redução de risco de doenças e manutenção do bem-estar físico e mental). Para além das propriedades nutricionais básicas, devem apresentar propriedades benéficas, daí se adicionar o termo “funcional”, que significa que proporcionam um benefício fisiológico adicional.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.